“Tem um brinquedo para mim também?”

Uma mãe pegando um brinquedo para seu filho.

O Natal já passou, mas quero deixar registrado uma coisa que  aconteceu nesse dia (na verdade, foi dia 22, mas vamos fingir que foi dia 25. Brincadeira!). Fiz uma coisa que sempre tive vontade, mas nunca tinha feito: trabalho voluntário.

Havia uma campanha, da qual eu havia participado, cujo objetivo era arrecadar brinquedos, roupas materiais escolares e tudo o que pudesse deixar um sorriso no rosto da crianças da Vila Chocolatão  (por isso o nome da campanha era “Doe Por um Sorriso”), uma vila bem pobre de Porto-Alegre. Essa campanha surgiu por causa de uma disciplina do curso de Comunicação Digital, mas acabou indo além disso.

Enfim, não quero entrar em detalhes de como foi a campanha, de como foi a disciplina e nem nada disso. Como disse, dia 22 eu, um colega-amigo, uma professora e outros amigos fomos até a Vila Chocolatão entregar as doações.

Eu não sei exatamente o que eu senti quando vi todas aquelas crianças, foi uma mistura de sentimentos bons e ruins. Conheci uma menina chamada Natália, que devia ter uns 8 anos. Ela pediu para ler um livro para ela. Não lembro direito do título, mas era a história de um dragãozinho. Apesar de ser um livro infantil, tinha muitas páginas. Teve um momento que a Natália disse: “Tia, lê só o que tá escrito desse lado agora, tá?” Ela queria que eu lesse apenas a parte direita do livro, hehe.

Porém, se teve uma coisa que me deixou mais emocionada do que a Natália me pedindo para ler um livro para ela, foi algo que aconteceu na hora em que estávamos entregando os presentes para as crianças. As crianças estavam em fila, esperando ansiosamente por sua vez. Até que vejo uma garota com um bebê de mais ou menos 02 anos no colo. Ela diz:

– Moça, tem um brinquedo para a minha filha?

Eu disse:

– Claro! Aqui…

– Não tem um brinquedo para mim também?

Fiquei curiosa com o pedido. Achei estranho. Perguntei:

– Quantos anos você tem?

– Tenho 13 anos.

Fiquei surpresa! Sim, eu sei que ela não é a única garota de 13 anos que tem uma filha, mas o que me surpreendeu foi o fato dela querer brincar, de querer ter um brinquedo. Fiquei imaginando o quanto ela não tinha perdido de sua infância e acho que mesmo se ela tivesse mais de 18 anos, eu entregaria um brinquedo para ela.

Eu sei que tem muitos que pensam que ela quis assim, que ela não se cuidou. Mas e se ela foi abusada, chantageada? E mesmo que tenha sido por vontade dela, sabemos que a falta de informação e educação fez isso acontecer.

Não sei. É duro ver essa realidade e não poder fazer muita coisa.

Só fiquei feliz em conseguir ter ajudado um pouco. Faz a gente se sentir bem, aliviado. Mas queria saber se vai existir um dia em que essa realidade mudará… E termino esse texto com muitas reticências…

Crédito da foto: Luciano Louzada

Anúncios
Etiquetado , , , , , , ,

4 pensamentos sobre ““Tem um brinquedo para mim também?”

  1. Bela iniciativa sua! E muito tocante a história da menina!

  2. Branca disse:

    Acredite, essas pessoas nunca te esqueceram, elas vão lembrar de vc e serão muito gratas. Não é todo mundo que tem uma iniciativa tão linda como essa. Parabéns pra vc e todos os envolvidos neste gesto tão lindo!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: