O Poema Proibido

– Eu vejo gente morta.

O médico encarou a jovem em sua frente com precisão. Ela vestia uma camiseta amarrotada e uma legging até o joelho. É como se tivesse resolvido marcar uma consulta no psiquiatra no meio de uma caminhada porque se lembrou que estava vendo gente que não existia.

A garota esfregava uma mão na outra e não conseguia deixar as pernas quietas. “Ele não vai acreditar em mim!”, ela deveria estar pensando.

– Todos os dias? – perguntou o médico.

– Todo o tempo.

– Quem são essas pessoas mortas? Você acha que conhece elas?

– Na verdade, é apenas uma garota.

O doutor a encarou por cima de seus óculos miúdos e percebeu que agora ela parecia mais nervosa do que antes, mais trêmula e sua respiração ficara ligeiramente mais pesada.imagemtextopoema

– Quem é essa garota?

– Não conheço. É uma jovem, não deve ter mais do que 13 anos. Tem os cabelos pretos e longos, que cobrem toda a sua cara. Ela também fede. Tem cheiro de podridão!

– Faz muito tempo que você a vê?

– Semana passada eu li um poema. Eu não lembro o nome dele, mas estava traduzido do japonês. Dizia: “você não deve ler esse poema em voz alta, ou algo muito ruim irá acontecer com você.” Mas eu queria provar que isso tudo era uma baboseira. E , então, eu o li em voz alta.

A garota começou a tremer mais ainda e agora encarava os livros que estavam na estante, como se de repente eles parecessem mais interessante do que a conversa que estava tendo com o seu médico ou talvez achasse que todos aqueles livros sobre Transtorno Bipolar e Déficit de Atenção fossem lhe dar uma resposta.

– Sobre o que falava esse poema?

– Eu não lembro ao certo. Acho que era sobre uma garota e ela foi para o inferno.

– Você acha que está vendo ela? Acha que é ela que está perseguindo você?

– Você acredita nessas coisas? Quero dizer, eu li o poema porque eu não acreditei que algo ruim iria acontecer comigo e agora estou vendo essa garota que saiu do inferno para me perseguir. Você não acha que é muita coincidência?

– Às vezes um evento em questão pode ter feito você perceber que algo não está completamente certo com você.Talvez você já estivesse vendo pessoas que não existem antes de ler esse poema.

– Mas eu sinto o cheiro dela. Parece ser tão real!

O médico ficou pensativo por um momento, encarando a garota que balançava as pernas nervosamente.

– Tudo bem – disse ele puxando um pedaço de papel -, eu não posso afirmar o que você tem. Vou prescrever um exame neurológico para ver se você não sofreu nenhum trauma no crânio. Vou lhe dar meu telefone, caso você precise de mim.

Ele entregou a folha com a prescrição dobrada para ela, que não hesitou em pegar.

– Não posso lhe dar nenhum remédio, sem saber exatamente o que você tem. – acrescentou – Por favor, remarque uma consulta após fazer esse exame.

Ela balançou a cabeça concordando com ele e levantou se curvando ligeiramente e, agradecendo a consulta, foi em direção à porta. Foi quando ele a parou.

– Espere! Quando ficar pronto, não se esqueça de me avisar.

– Ah, mas eu vou marcar outra consulta. Por que eu…

Então ela viu que ele estava com um grande sorriso na cara. O papel da prescrição que estava em sua mão parecia mais sólido. Ela o pegou e abriu. Nele estava escrito em letras garrafais:

“BOA SORTE COM O SEU LIVRO.”

Nota: Agradecimento ao Medo B. Foi de lá que tirei inspiração para esse conto. ;)

Etiquetado , , ,

Vou dominar o mundo!

Fazendo um post rápido só para avisar que eu comecei meu plano de dominar o mundo. Além desse blog, também comecei a escrever para o Publicitando.

Como inauguração, fiz um post sobre o Tarantino. Enfim, não vou falar sobre ele aqui. Vocês terão de conferir lá. ;)

Mas isso é só o começo. Ainda vou estar escrevendo em mais lugares – risada maléfica -.

Só vou deixar o TCC passar primeiro, porque né…

Eles concordam comigo...

Eles concordam comigo…

Etiquetado

Física?

Hoje eu estava na central de atendimento da faculdade em que estudo esperando para ver alguma coisa pendente sobre uns documentos que precisava.

Enquanto eu esperava, vi um garoto de 8 ou 10 anos com um trabalho no colo intitulado “A Geração da Mente”. Fiquei curiosa e comecei a puxar assunto com ele.

– Então, o que você está fazendo aqui? Também precisa de algum documento?

O garoto me olhou desconfiado por cima dos óculos quadrados antes de dizer:

– Não. Eu quero publicar este artigo para os alunos da faculdade e pensei que poderia conseguir ajuda aqui.

Ele tirou mais um pouco as mãos de cima do artigo e eu pude ver que o nome do autor era Eduardo Schunemann.

– Por acaso esse artigo é do seu pai?

O menino balançou a cabeça, negativamente.

– Do seu irmão?

– Não. – falou o garoto estufando o peito de orgulho – É meu.

Olhei-o com silêncio por algum tempo, pensando que ele talvez fosse um supergênio mirim ou apenas um garotinho que estava tentando brincar comigo.

– Não brinca! – disse eu por fim – Deixa eu adivinhar: fala sobre Física, não é?

– Por que você acha isso? – ele pareceu um pouco ofendido – Eu nem gosto de Física. Ela é muito complicada e tem aqueles cálculos chatos!

– Tá, tá, foi mal! Sobre o que fala o seu artigo?

– Sobre Física.

– Mas você disse que…

– É sobre Física. O estudo do Universo. Você sabe o que é o Universo?

– Bom, não seria tudo?

– Minha teoria é de que o Universo é a mente. Tudo surge através de ideias, de pensamentos. Se não fosse pela mente, nada existiria. Mesmo se existisse não existiria, pois sem a mente não teria valor.

– Você está dizendo que as estrelas não estariam no céu se não tivéssemos a capacidade de pensar?

– De fato. Elas continuariam do céu, como sempre foi, mas sem nossa capacidade de pensar, ignoraríamos elas completamente. E tudo aquilo que é ignorado, não existe.

– Nem gente?

– Sem a capacidade da mente nada e nem ninguém existiria. Você, para mim, seria como um vazio enorme do meu lado, assim como eu seria para você.

– Você acha que quando machucamos alguém, é por que não damos valor a sua existência? Quando estamos com raiva, não pensamos no que fazemos e acabamos ferindo alguém. Seriam lapsos de nossa ignorância?

– Sem dúvidas. Ainda bem que são apenas lapsos, não é?

Não pude continuar a minha conversa com Eduardo. Uma campainha tocou e a tela mostrou a senha de atendimento dele. Desejei-lhe boa sorte com a publicação e esperei minha vez de ser atendida.

Fiquei imaginando se Eduardo havia se lembrado de estacionar sua espaço-nave fora da vaga de deficientes. Vi em seus olhos algo de outro planeta, talvez esperança.

Etiquetado , , , , ,

Ricardo Augusto era um avião feio, coitado. Não era nem um pouco elegante e todos os outros aviões riam dele. Eles diziam:

– Lá vai Ricardo Augusto, gordo como um helicóptero!

E o pequeno Ricardo voava triste para bem longe.

Ele era um avião da TAMu* (Transporte Aéreo Mortal), mas todos os passageiros tinham medo de voar nele, pois além de feio Ricardo Augusto era sujo e fazia barulhos esquisitos… bem esquisitos!

Um dia uma banda super animada, cantando “minha brasília amarela, tá de portas abertas” decidiu voar em Ricardo Augusto, mas o pequenino estava tão triste e deprimido que resolveu cometer suícidio.

FIM

História originalmente feita em uma disciplina da faculdade, onde eu estava com uma espécie de humor negro.

* O “u” é para não correr o risco de processo.

A História de Ricardo Augusto: o Avião

Etiquetado

Páscoa e Direitos Humanos

Parem de reclamar do preço dos ovos de Páscoa!

Pois é isso que eu estou vendo ultimamente: o pessoal reclamando que no lugar de um ovo de Páscoa, poderiam ser compradas 10 barras de chocolate (hipoteticamente falando) e bla, bla, bla.

Eu não consigo entender o motivo de tamanha indignação. O pessoal fala como se a única opção de ovos de Páscoa fossem esses feitos por marcas que cobram caro, quando, na verdade, existem muitas outras opções. Você pode comprar várias barras e fazer o seu próprio ovo de chocolate, por exemplo, ou comprar de uma marca menos popular. Gramado (a cidade, lógico), por exemplo, tem várias fábricas que vendem a ótimos preços e o sabor é bem mais gostoso ao paladar.

Então, parem de achar isso absurdo e ampliem os seus horizontes. Existem bem mais opções além do que você pode ver!

Enquanto isso, enquanto o pessoal chora pelo preço dos ovos de chocolate, Marcos Feliciano é eleito à frente da Comissão de Direitos Humanos. Um ato covarde, que humilha o povo brasileiro. Como uma pessoa acusada de homofobia e racismo pôde ser eleita para um cargo destes? Aliás, a pergunta não é como e sim “por quê”.

Será que eles querem brincar com a nossa cara? Será isso tudo uma pegadinha de mau gosto? Uma piadinha machista só por que o dia da mulher está próximo? Seria bom se fosse, mas não é. Infelizmente não é.

Imagem

E o que o povo brasileiro ganha com isso? Nada! Apenas mais vergonha de ser brasileiro.

Eu só sei que as minorias ficarão cada vez mais excluídas, perderão seus direitos pouco a pouco. É como um câncer instalado em nossa sociedade, que vai nos destruindo aos poucos. Destrói nossa educação, nosso direito a uma saúde de boa qualidade, nossos direitos como cidadãos e sabe-se lá o que mais poderá destruir.

Pode parecer uma previsão um pouco exagerada, eu sei. Mas tudo indica que é assim que a sociedade se encaminha: dinheiro sendo usado para construir estádios de futebol, senadores e deputados com salários absurdos e agora, mais do que nunca, os direitos humanos estão sendo ameaçados.

Sempre falam que brasileiro só sabe reclamar, mas não faz nada para mudar as coisas. E isso é verdade! Por isso, eu tenho um pedido a vocês. Eu sei que posso ser uma estranha para a maioria de vocês, mas o que está em vista diz respeito a todos nós!

Por isso, façam tudo o que puderem para mudar isso! Eu sei que grande parte não pode ir até a câmera para protestar, eu mesma não tenho como, mas existem outros atos que podem ajudar. Conversem com um deputado que seja da confiança de vocês, mandem um email para a presidente, falem com a ONU… Enfim, falem com quem vocês conseguirem e façam o que puderem. Ao vivo ou online, não importa, o importante é mostrar que todos estamos indignados e que queremos mudanças!

Façam isso, pois eu sei que estamos todos com medo do futuro. Não estamos mais no ponto em que temos vergonha de sermos brasileiros, acho que agora o que sentimos é medo e um certo vazio.

Acrescentando…

Logo depois de escrever esse post, descubro que um dos maiores devastadores do meio-ambiente brasileiro assume a Comissão de Meio Ambiente! #palmas!

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , ,

Esquizofrenia

– Tá frio, né?

– Tá, né?

Ele ficou quieto por um instante.

– Quer um cobertor?

– Não, não… Deixa pra lá.

Ele se virou para dormir.

– Sabe tem bastante espaço na minha cama… e você não parece confortável…

E assim ele pulou na minha cama e dormimos abraçados. Ele em mim e eu nele. Como uma só pessoa.

Foi assim que dormi abraçada com o futuro amor da minha vida.

Pela manhã acordei e só havia mais o cobertor. E nada mais além de um suspiro.

Etiquetado , , , , ,

Gita

O que fazer quando você quer ser tudo?

Cientista.

Jornalista.

Médica.

Física.

Astronauta.

Designer.

Linguista.

A solução para pessoas com esse problema é escrever um livro, ou virar Gita mesmo.

Etiquetado , , , , , , ,

Textos antigos da antiguidade de antigamente

Hoje eu estava fazendo uma limpa no meu computador e descobri uma pasta com textos em algum buraco negro do meu HD, na parte “deep” do meu computador (?).

São textos de pelo menos três anos atrás e muitos deles não condizem com a forma como penso hoje. Na verdade, a maioria dos textos são bem revoltados. Eu devo ter escrito eles em algum momento emo da minha existência.

Ri muito vendo esses textos. Não sei dizer se era por vergonha ou por outra coisa. Deve ter sido de vergonha mesmo…

Mas, enfim, de todos os textos tem um que eu gostei. Se eu fosse abordar o tema hoje em dia, não escreveria na maneira que o fiz, mas eu ainda penso do mesmo jeito. Ainda concordo com o que eu disse nesse texto.

Então aqui está ele, exatamente como era, sem nenhuma alteração, sem correção dos erros e nem nada disso. Divirtam-se (ou não)!

Você não tem nojo de homens se beijando…

…você diz isso porque pensa que é o que os outros esperam que você diga.

Quando você vê dois homens se beijando você não faz “urgh!” porque acha nojento. São morais religiosos, sociais, familiares e a opinião dos outros que fazem você exclamar “urgh!”.

Na verdade, você não acha nada quando vê duas pessoas do mesmo sexo entrelaçadas com os lábios se tocando. O que há de repulsivo em um beijo? Você não sente nojo de uma coisa que você pratica quase todos os dias.

Você diz: “Ai! Que nojo!” para dois homens se beijando quando você está junto de outras pessoas, porque você quer que elas vejam como você é contra esse tipo de atitude. Só que, na verdade, você não é e ninguém que está com você é. Eles só dizem que é repulsivo porque elas acham que você pensa isso.

Mas você não pensa assim…

Afinal, nojenta é a crueldade feita com as crianças que, tão pequenas, já são vítimas do frio da rua, da violência dos adultos e da prostituição do dinheiro.

Repulsiva são as guerras que acontecem todos os anos por motivos raciais e religiosos.

Você tem nojo de ver as pessoas morrendo de AIDS e fome na África e perceber que a única que fazem a respeito disso é julgar que a culpa disso é do próprio povo africano por ser pagão e atiçar a fúria divina.

Você é tem repulsa da KKK, dos neo-nazistas, dos estupradores, dos pedófilos, dos torturados, dos corruptos, dos intolerantes, dos preconceituosos, de homens que batem em mulheres, de mulheres que batem em idosos.

Tem nojo da ignorância e da hipocrisia.

Mas você não sente nojo de homens se beijando.

Afinal, o que há de nojento no amor?

OBS: Ganhei 15,2 GB de espaço fazendo essa limpa no meu computador (informação relevante)! ;D

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Velha infância

– Eu acho que vou seguir o meu sonho.

– E qual é o seu sonho?

– Eu quero descobrir um novo mundo. Diferente de tudo o que eu já vi!

Eu cuspi o refrigerante que estava bebendo em minha própria roupa. Olhei sério para o meu amigo e falei:

– Fala sério, cara! Que mundo é esse que você quer descobrir?

– Quando eu era criança eu lia livros e todos eles mostravam mundos diferentes. Coisas que eu jamais imaginei que poderiam existir. Mas agora eu quero descobrir um mundo novo. Um mundo que nunca vi nos livros que li ou nos filmes que assisti.

– Entendi. Você quer criar histórias…

Meu amigo de uma risada debochada. Ele brincou com um dente-de-leão antes de prosseguir a conversa.

– Não sou bom com histórias.

– Mas então… O que você quer dizer com “descobrir um mundo novo”.

– Eu não sei. É por isso que se chama “descobrir”. E quando eu fizer isso, vou saber exatamente o que me levou aquela descoberta.

Eu deitei na grama e entrelacei as mãos atrás da minha cabeça.

– Me parece loucura…

– Não só parece. É!

Eu virei a cabeça para encarar o meu amigo, que agora também estava deitado.

– Mas então, por que você pensa em prosseguir com isso?

Meu amigo sorriu para os céus, enquanto brincava com o cabinho do dente-de-leão entre seus dedos.

– É que existe um carinha lá no meu passado que eu não quero decepcionar, pois eu já deixei ele triste muitas vezes. Não quero mais fazer isso.

Vi uma lágrima escorrendo de seus olhos, aquele tipo de lágrima que deixa você sem palavras. Ficamos em silêncio por um longo tempo. Na verdade, foi tanto tempo que quando voltei de um devaneio, vi que uma borboleta estava pousada no meu nariz. Há quanto tempo será que ela estava lá?

Virei para o lado e meu amigo não estava mais lá. A borboleta também fugiu, assustada com o movimento brusco da minha cabeça. Peguei meu livro de histórias e me levantei para ir pra casa. Havia um carinha me esperando lá, alguém que eu jamais poderia decepcionar.

 

Inspirado em uma tira que vi em algum lugar do Facebook.

Etiquetado , , , , , ,

Por Santa Maria

Domingo de manhã eu estava na casa da minha tia. Acordei as 10h da manhã, meio grogue por causa da rinite e por causa dos efeitos dos remédios que tomei. Na cozinha minha tia comentou que houve um incêndio numa boate de Santa Maria, mas eu não prestei muita atenção naquela hora. As únicas palavras que me vinham a cabeça eram: incêndio, Santa Maria e mais nada.394918_419323398144233_658526606_n

Quando meu tio chegou em casa e ligou a rádio eu comecei a perceber o que estava acontecendo. Na TV também não se falava em outra coisa e eu ainda estava imaginando porque aquilo havia dado tanta repercussão. Eu demorei um pouco para entender completamente. Na verdade, só consegui compreender hoje de manhã quando acordei.

Nessas horas é difícil ter palavras bonitas de consolo. Eu sei que o Brasil inteiro está se mobilizando e talvez até o mundo. Queria fazer mais do que escrever isso no meu blog; queria poder doar sangue, mas não posso por causa do remédio que tomo e também queria estar mais perto da capital ou de Santa Maria e não no interior nesse momento.

Mas, tudo o que eu posso fazer agora é expressar minhas condolências em forma de texto. Não sei a dor que os familiares e amigos de vítimas estão sentindo, pois não conheço ninguém de lá, mas com certeza posso imaginar.

Quanto aqueles que podem ajudar, principalmente doando sangue, não deixem de fazer isso. Não precisam ir até Santa Maria, em Porto-Alegre e região existem centros de coletas. Sei que muita gente tem medo de doar sangue e às vezes até um certo preconceito, mas agora existem pessoas que precisam da nossa ajuda e por isso é preciso revermos os nossos conceitos.

Ajudem sempre que puder. Isso faz bem ao coração e ao mundo!

Para saber mais: http://migre.me/d0Sqy

 

Acrescentando:

Esse foi um comentário que recebi sobre o post:

g

Só tenho a dizer que acho super chique e descolado essa gente que tem o dom de fazer piada de humor negro exatamente quando muitas outras estão sofrendo. Acho super in e diferente! Queria tanto ser amiga dessas pessoas… Ai, ai. – só que não.

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,