Arquivo da tag: estorvo

O Problema em ser vegetariano

O Problema em ser vegetariano não é “só ter coisa ruim para comer”, como diriam os amigos que comem carne.

Não é ir a uma padaria e perguntar: “Tem algum salgado sem carne?” e ouvir a atendente responder: “Tenho pastel de frango, dona.”

Não é escutar: “Hm, mas só come alface!” de pessoas que comem sempre a mesma coisa.

E nem mesmo se deparar com a falta de alimentos em eventos sociais.

Nenhuma dessas coisas é o problema. São só situações que quem é vegetariano já está acostumado a enfrentar no dia-a-dia.

O problema é ser visto como um estorvo. Isso mesmo! Que atire a primeira pedra o vegetariano que nunca se sentiu assim! Parece que o fato de não comer carne atrapalha as outras pessoas. Elas olham como se isso fosse uma ofensa, um crime, como se uma criança indefesa estivesse sendo estuprada!

Pelo menos é assim que eu me sinto, na maioria das vezes, quando vou comer fora. Sinceramente, já estou pegando fobia disso! Argh!

Eu não me importo em comer somente salada e arroz nos churrascos ou me entupir de docinhos nos aniversários, onde os salgados só têm carne. O que me incomoda são olhares tortos. Aqueles olhares na nuca, que parece que empurram você para baixo. Que deixam a sensação de uma coisa motanda nas costas (aliás, alguém já viu “Shutter”?).

E sabe o que incomoda mais? É você ficar na sua e alguém vir te cutucar, tentando enfiar uma lição de moral tola goela abaixo. Eu nunca comecei nenhuma discussão, mas sempre tive que ouvir ofensas que, muitas vezes, estavam disfarçadas de dúvidas. Não estou dizendo que perguntar é errado, mas existem afirmações disfarçadas de questionamentos, como as famosas: “mas você só come alface?” “e se você estivesse perdida numa ilha? Só comeria mato?”, “não tem pena das plantas?”, “sabia que tem gente que nem carne tem para comer?” etc, e são essas que me incomodam.

Eu nunca quis ser um estorvo para as pessoas. Eu só quero comer minha comida, sem que os outros se incomodem com o conteúdo do meu prato. Nunca olhei para o que os outros estão comendo. Por que as pessoas não seguem meu exemplo?

P.S:

Postei o texto num grupo Vegano do Facebook, o que rendeu um belo debate. Quem quiser ver (e participar), pode entrar aqui. ;D

O Arthur Araújo, lá do Tutz Style, me mando este texto – Meus 10 anos de vegetariano-, que eu simplesmente amei!

Por fim, quero deixar uma reflexão que o Gilberto Leite postou no grupo de debates. Achei tão linda que não pude ignorar!

 O problema todo está em ser minoria e feliz. Isso incomoda a maioria insana. A maioria não pensa por si, obedece a regras de um sistema, de uma economia, de um capitalismo. No fundo, a maioria faz um esforço teatral para parecer o que não é e tal esforço desgasta, consome e dá uma enorme inveja daqueles que, sem representar, são felizes, simplesmente porque são como desejam ser. As minorias, quaisquer que sejam, estão sempre na contramão do “politicamente correto” mas não conheço nenhuma que faça o que faz para parecer correta politicamente; elas fazem o que fazem por acharem ético, e num mundo hipócrita e irreversivelmente putrefato fazer o “eticamente correto” (atenção às aspas) é arriscar-se a ser olhado de esguelha o tempo todo. Olhe a sua volta: as pessoas corretas estão quase sempre sós; as justas, idem; as iluminadas também. As massas humanas não se misturam mais aos bons e isso é ótimo: estão nos permitindo criar mundinhos livres onde podemos viver nossa realidade. Por isso não se importe com os comentários e olhares estranhos, encha o peito de alegria e celebre: sou livre, não sou dominada, tenho consciência elevada, sou do bem por isso sou diferente.

Etiquetado , , ,